quinta-feira, 16 de abril de 2015

Mistérios da Mãe Lua



 Eis a tarde de outubro , que mudaria minha vida ......
 Fui chamado a casa de um ricaço excêntrico que vivia em um rancho, afastado da cidade. Meus familiares sempre trabalharam para aquela família e agora  era chegada a minha vez. Sabia que todos que trabalhavam lá, eram  rodeados de mistérios.
A casa não era cheia  de "coisas", mas era austera e grande. Como meu pai  descrevia.


Bling Blong

A porta se abriu e vi minha tia Claudia.
_Oi Fabinho, entre o Sr. Euvídio o aguarda.
Foi quando a segui por corredores e salas com estilo  e tons coloniais , um pouco escura e com alguma penumbra. Estava no meio da maior lenda que já sabia existir, porém não conhecia nem a metade. Ela me conduziu até a porta da biblioteca e me deixou. Entrei.
_Muito bom dia, Fábio, creio que é o filho do  mais prestimoso funcionário que tive até hoje.
Olhei assustado para minha direita, quando visualizei , um homem na altura dos seus 37 anos, de camisa branca dobrada até o cotovelo, colete preto...confesso que me veio a cabeça "ZORRO", por que ele tinha um bigode fininho logo abaixo do nariz, e cabelos cuidadosamente penteados e negros. E um olhar que perfurava nossa carne. Respondi, meio sem jeito.
- Bom dia , Sr Euvídio. Vim quando me chamou, justamente quando voltei a minha cidade e encontro-me desempregado.
-Seu pai foi um homem honrado e muito prestativo, nunca o esquecerei. Tua família tem prestado grande ajuda à minha  a muitos séculos, e minha esperança é que isso prossiga contigo.
- Sim , pode contar comigo!
- Hum, antes preciso lhe contar uma lenda, e também preciso que me prometa segredo.
_Tem minha palavra Sr. Euvídio.
- Pois bem..... tudo começou a dois séculos atrás....
"Viviam aqui, uma tribo muito antiga de indígenas, logo aqui perto da propriedade. Nela havia uma índia muito graciosa e por quem o filho do dono da propriedade se apaixonou. Certo dia se deparou com ela no lago, ficou escondido nas matas e a viu, nadar ...linda e destemida.... naquele momento, foi fisgado como nunca e como jamais seria novamente. Certo dia, ele se  apresentou  a ela , a graciosa índia lhe disse  que se chamava "Anahi" contou -lhe que seu nome significava "bela flor do céu",  ele se  apaixonou mais ainda e ela por ele.... até o dia que ela lhe contou que estava prometida à Antã, filho do Xamã da tribo, e que iria se casar com ele antes da lua cheia. Nesse instante, o chão sumiu diante de seus pés, e lhe disse que jamais permitiria que isso acontecesse. Ela lhe explicou que teria que ficar por duas semanas dentro de uma gruta , jejuando para se purificar para o matrimônio. O filho do dono da propriedade caiu em desgraça, e prometeu a resgatar e fugir com ela, já que já tinham consumado o amor e ela carregava em seu ventre sua semente. Foi quando todos da tribo descobriram, depois de uma semana, Anahi reclusa em uma caverna e passando mal,  o ocorrido. A prenderam em um pira e iam colocar fogo, foi  quando ele chegou , no meio da noite...ele viu os olhos lacrimejantes e silenciosos de sua amada, e não se conteve, partiu  para cima de Antã, tentando impedir tamanha mostruosidade. Mas Antã , filho do Xamã , começou a proferir palavras que ele não conseguia entender...neste instante.... a pira começou como que por um feitiço a arder em chamas e seu corpo começou a elevar-se como em um sonho... sentiu suas unhas aumentarem de tamanho, e seus ossos rasgarem sua pele , em uma dor descumunal....isso tudo ao som da pira queimando ao seu lado , sem que nada pudesse fazer. Foi então , que o Xamã da tribo explicou -lhe que seria um ser das trevas , que andaria sobre quatro patas e urraria  à Lua , sua amada , sem nunca poder  tocá-la de verdade....Esse seria o castigo dos amantes ....se encontrarem todas as vezes que ela subisse aos céus, como uma "bela flor do céu" cheia,e ele se tornasse a besta fera."
Fábio , sem perceber estava entretido na trama que acabara de ouvir, e só pode ficar indignado.
-Mas ele não teve chance nenhuma? Nunca conseguiu se livrar da maldição?
Euvídio, olha para a janela , com os braços para traz e apenas balbucia, com olhar triste.
- Sim, ele se verá livre o dia em que a alma dela encarnar novamente e  puder  reconhecê-lo, quando isso acontecer, eles estarão livres da maldição.
Neste momento, tudo cai como uma luva na mente de Fábio.
-Oh meu Deus!!!! Você é essa lenda, é o filho do proprietário, esta é a propriedade, não é? E você não morre? Vira lobsomen???????????Como é isso????
 Fábio se esquiva, e instintivamente se aproxima da porta.
_Sim  Fábio, sou o filho do proprietário, e viverei eternamente até que minha amada reencarne e me encontre, mas como fazer isso, se vivo enclausurado nesta casa a séculos, com medo de fazer algum mau a humanidade,  por isso preciso de você. Venha vou lhe mostrar o calabouço, onde me acorrento em  toda lua cheia.
Fábio com medo e curioso o seguiu....



(Andréa C Narita)


****************

Segue em outra oportunidade...

11 comentários:

  1. Adoro essas historias que vc cria com tanta riqueza, a musica nem falo, como colocar comentario aki, pelo blog? Qdo tento pela conta do google aparece uma msg dizendo que não tenho autorização pela minha conta! estou confusa kkkkk Bjooooosss
    Kellen

    ResponderExcluir
  2. Eu já tinha lido a que ele encontrou a subrinha do padre, mas ñ sabia como tudo aconteceu...
    fico muito ligada nessas histórias, quando eu leio um livro eu leio a saga inteira se for interessante...
    Agora me tiras uma curiosidade?? Tu ja tas com a história toda pronta, ou tu vai criando aos pouquinhos???Se é aos pouquinhos pode continuar que quero ler até o final^^

    ResponderExcluir
  3. ainda bem que não sou a única perdida do blogspot (rs). Estou esperando a sequência desta estória...bjuss e uma linda noite pra você Andréa.

    ResponderExcluir
  4. Oi Maninha, esse texto e maravilhoso para viver Sonhos de uma noite sombria...Sensacional...
    posta logo a segunda parte ....
    Bejusss Dé..

    ResponderExcluir
  5. Nossa sensacional Andréa!!!Bjoos!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom a historia e da forma que descreve os personagens e cenarios

    ResponderExcluir